Estudar medicina na Argentina – de graça e sem vestibular

Estudar o que você ama e fazer um intercâmbio ao mesmo tempo, parece uma realidade para poucos né?

E quando o estudo em questão é uma faculdade de medicina? Aí fica quase impossível para meros mortais realizarem os dois de uma vez só.

Mas e se eu te disser que existe uma opção mais perto do que você imagina, onde a faculdade é de graça e não precisa nem fazer vestibular para ingressar, você acredita? Pois saiba que isso existe sim e fica bem do nosso lado, na Argentina.

Milhares de estudantes brasileiros já descobriram essa opção e decidiram investir seu sonho na terra dos hermanos. E uma dessas pessoas é a Gabriela, brasileira, que tem 21 anos, mora em Rosário na Argentina e que por acaso é irmã do Rodrigo rsrsrs.

Hoje ela vai contar um pouco sobre a experiência que ela está vivendo e esclarecer algumas dúvidas para quem tem interesse em estudar medicina e quem sabe fazer um intercâmbio na Argentina.

 


 

 


 

  • Quais são as vantagens de estudar medicina na Argentina? Como é a qualidade de ensino?

A vantagem mais relevante e para mim a mais importante é a qualidade de ensino. A Universidade Nacional de Rosário (UNR), por exemplo, é considera uma das melhores universidades da Argentina e já ganhou muitos prêmios de excelência. Além de ser pública tem um método de ensino igual ao da Universidade de Harvard, chamado PBL, que na minha opinião forma médicos muito mais capacitados que no método tradicional. Além de tudo, para os estrangeiros, se formar fluente em outro idioma é fantástico! Também não é preciso perder tempo estudando para passar em vestibulares, já que na UNR não é necessário fazer nenhum exame de ingresso. Existem muitas outras universidades espalhadas pela Argentina, mas que não conheço tanto como a de Rosário. Já ouvi falar de duas universidades de Buenos Aires, UBA, que é pública, e a Barcelo, que é privada e tem sede também em Santo Tomé, fronteira com São Borja, no Rio grande do Sul.

  • Como é o vestibular das universidades argentinas?

Na UNR, por exemplo, não tem nenhum exame eliminatório, porém existem regras. Existe um curso introdutório na faculdade, onde o aluno tem que ter 75% de presença, também é necessário fazer os exercícios pedidos em aula e ser participativo, caso não cumpra é reprovado, porém é possível comparecer a aulas recuperatórias, para conseguir a aprovação. Depois desse curso introdutório, iniciam as classes mais focadas no estudo geral da medicina, que se chama Crecimento y Desarrollo, que muitos aqui chamam como o vestibular do Brasil porque são muitos conteúdos pra estudar, um nível de dificuldade bem alto e um tempo muito curto. Depois de concluir as primeiras 5 Ups (Que são as Unidades Problemas utilizadas pelo método PBL) é realizada uma prova dissertativa e descritiva com os primeiros 5 conteúdos. Depois de concluídas as 4 Ups restantes( no total do primeiro ano são 9) é realizada outra prova como a primeira. Caso o aluno não passe na primeira e e nem na segunda, são realizadas mais duas provas, com alguns dias de intervalo entre cada uma, e se não aprova nas 4 chances o aluno fica como eles chama aqui, Livre (nao pode asistir a próxima etapa da faculdade, que é Nutrição). Após realizada as provas dissertativas e descritivas, começam as provas orais, onde o aluno é chamado em uma sala com professores para falar sobre o assunto que o professor solicitar(das 9 Ups), para as provas orais o aluno tem 7 chances, uma em cada mês.

6

UNR – Universidad Nacional de Rosário

  • Quando começa o ano letivo?

O curso introdutório, que é para os ingressantes da faculdade começa em fevereiro (foram realizadas algumas mudanças esse ano, nos outros anos começava em dezembro) e as aulas normais começam geralmente em março.

  • Quais documentos são necessários? Qualquer brasileiro pode fazer isso?

Os documentos exigidos esse ano foram: Passaporte; Histórico escolar e certificado; Certidão de nascimento ; Fazer o documento argentino, DNI. Alguns desses documentos são enviados para ser carimbados no MRE e MEC. E depois é necessário ser chancelado em Buenos Aires. E para ser entregue na faculdade tem que estar tudo devidamente traduzido com professores autorizados. Qualquer pessoa pode fazer, é só ter muita paciência, persistência e também não ter dinheiro sobrando pra pagar assessoria kkkkk

  • Quanto se gasta em média por mês para estudar na argentina considerando todos os custos?

Fazendo uma universidade pública, os custos básicos são com aluguel, despesas (água, luz, internet), alimentação e material para estudo. Um grande problema, pelo menos aqui de Rosario, é que os alugueis estão extremamente altos, sendo quase impossível encontrar um studio para alugar por menos de R$1000,00. Meu custo mensal é em torno de R$1.500,00(isso dependendo da cotação do peso argentino, que oscila muito), porém para conseguir viver bem com esse valor é necessário abrir mão de quase todas as mordomias. Para mim é mais que suficiente, consigo me alimentar bem e pagar todas as contas. Um lado que vejo positivo em custos aqui na argentina são os livros necessários para a faculdade. Aqui é possível fazer cópias de livros, consequentemente o custo é muito mais baixo, comparado ao Brasil.

Rosário – Argentina

  • Como faz para validar o diploma no Brasil após formado?

É necessário fazer uma prova, que se chama Revalida, ou Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos e ocorre em duas etapas. É considerada uma prova muito difícil porque é cobrado todo o conteúdo dos 6 anos de faculdade, mas não é impossível. Kkkk

  • Quais são as principais universidades argentinas e porque escolhestes Rosário?

Não conheço muitas universidades da Argentina, mas meu objetivo no início de 2016 era ingressar na Barcelo de Santo Tomé que fica na fronteira com o Rio Grande do Sul. Porem é uma universidade privada e de cidade pequena, que não me daria tantas oportunidades como Rosário, que é a segunda maior cidade da Argentina. Além disso a UNR é de ensino público.

  • Qual o nível de espanhol exigido pelas universidades argentinas? Qual o teu nível quando fostes?

É necessário falar um espanhol pelo menos razoável para ingressar na UNR, para poder entender as explicações dos professores e poder interagir durante as aulas, sem isso fica muito mais difícil. Quando cheguei em Rosário meu espanhol era mais que péssimo, mal sabia me comunicar com a atendente do caixa do mercado, porem cheguei bastante tempo antes para poder estar preparada para o início das aulas.

  • Há quanto tempo tu estás na argentina?

Cheguei na Argentina em Março de 2016, sem contar as idas e vindas ao Brasil, fazem cerca de 11 meses que estou vivem em Rosário.

  • Qual ponto negativo de estudar medicina na Argentina, na tua opinião?

Existem alguns pontos negativos, como em qualquer universidade pública. No ano passado presenciei muitas greves, e aqui em Rosário as aulas perdidas são consideradas como aulas dadas, não existem classes para recuperar. Além disso a faculdade é bem antiga, em alguns lugares o ambiente pode ser um pouco desconfortável. Também por ser publica, ingressam milhares de pessoas, então o primeiro ano é o mais crítico, porque na maior parte das vezes as aulas estão cheias, não tem lugar para sentar e é difícil de ouvir o professor.

  • Como é a tua atual rotina de estudos? E como será após o começo das aulas?

Minha rotina de estudos hoje é bem puxada, decidi me dedicar mesmo antes de ingressar na faculdade porque percebi o quanto é difícil. Estudo cerca de 9 horas por dia, sendo que tem dias que estudo menos e outros que estudo mais. Quando começarem as minhas aulas com certeza vou ter que aumentar as horas de estudo, principalmente próximo as provas. Assisti algumas aulas na faculdade, que aqui eles chamam de seminários. Alguns professores optam por passar slides, outros só falar, ou só escrever. Todos os seminários que fui sempre estavam lotados, tinha que chegar no mínimo 30 minutos antes para conseguir pegar um lugar para sentar, o pessoal que chegava depois geralmente sentava no chão. O tempo de duração dos seminários são 2 horas, mas varia conforme o humor do professor. Além disso existem classes de consulta (para tirar dúvidas), amostrar (estudos com peças Oseas) e tutorias (que são aulas com número de alunos reduzidos, onde o aluno expõe os conteúdos aprendidos para os colegas e professor), porem esses últimos não pude assistir porque existe um controle maior.

1

  • Tu tivestes ajuda de alguma empresa para planejar tua ida para a Argentina? Se não, como foi?

Tive muita ajuda e boas vontade das pessoas que já estavam aqui ou que também estavam por vir. Pagar uma assessoria é muito caro, então decidi fazer minha documentação toda sozinha, e sim é possível e graças à ajuda de todas as pessoas meus documentos estão praticamente todos concluídos.

  • Como esta sendo a tua adaptação ao país e aos hábitos argentinos? Está gostando de morar aí?

Não da para negar que a adaptação de morar fora do país é muito difícil, ainda mais em seguida que chega. O susto geralmente é grande, estar longe de todos, precisando se virar em outro idioma é muito complicado, por isso é necessário ter muita certeza e maturidade para sair do país para estudar. Porém com o passar do tempo a rotina ajuda a acostumar, e tudo se torna muito natural. Não noto muitas diferenças de hábitos dos argentinos para os brasileiros, fico feliz por eles tomarem mate, que nem os gaúchos da minha cidade (mesmo sendo muito diferente)! Gosto da cidade de Rosário, é uma cidade grande com ares de cidade pequena, é muito aconchegante, tem muitos parques e lugares bonitos para conhecer.

  • Dá para conciliar os estudos e turismo?

Acredito que é sim possível conciliar turismo e os estudos, pois já vi algumas pessoas que estão na faculdade que conseguiram. Eu ingresso em fevereiro na faculdade, então durante este ano tive um pouco mais de tempo e pude ir ao Brasil várias vezes. Minha cidade é razoavelmente perto, 16 horas de ônibus, então isso ajuda. Com isso não usei muito do meu tempo livre para conhecer a Argentina, só Rosário mesmo, que é uma cidade linda e que na minha opinião não perde nadinha pra Buenos Aires.

  • Que dica tu darias para quem quer fazer mesmo que tu ou pelo menos está começando a pensar no assunto?

Existe um grupo no Facebook que todos os brasileiros que moram em Rosário participam, o Fala Rosário, lá o pessoal pública anúncios de apartamentos, comidas, roupas, criam grupos no Whats, etc. Também é interessante assistir os vídeos do pessoal que mora aqui. Os que eu assisti e me ajudaram muito foram os do Willian Cardoso. Outra dica é ter muita certeza do que quer para poder chegar aqui e enfrentar as dificuldades sem pensar em desistir. Conversar com as pessoas que já moram aqui antes de vir também é importante. É sempre bom ter uma noção do que vai enfrentar.

E a principal, jamais, em hipótese nenhuma desistir de um sonho, por mais difícil que ele seja! Empecilhos vão existir em qualquer lugar do mundo seja no Brasil, Argentina, Nova Zelândia, e isso tem que ser um motivo de força e persistência, porque quando se realmente tem vontade e dedicação tudo é possível!


 

Quem se interessou pela possibilidade de estudar medicina na Argentina deixa um comentário com suas dúvidas e sugestões que a Gabriela vai responder sempre que possível

6 Respostas
  • João Paulo
    abril 14, 2018

    Olá, há possibilidade de morar em alguma cidade do RS e estudar na Argentina?

  • thaynna oliveira
    março 30, 2018

    Boa noite :)
    tenho muita vontade de cursar medicina , mas estou vendo que no brasil seria dificil conseguir seguir em frente com esse sonho . sou casada,tenho 1 filho , tenho planos de ir pra argentina tentar , confesso que tenho medo ,pois sei que as dificuldades irão existir. estou levando isso como 1 opção ! ja realizei um curso de enfermagem e a vontade de estudar só aumentou . gostaria de saber mais sobre como providenciar os documentos necessarios ?

  • Bruna Tavares
    janeiro 14, 2018

    Olá meu nome é Bruna, amei o site e as informações. Este site pôde me mostrar informações que não estava conseguindo achar em nenhum outro local tais como as da Argentina, pois estou pensando em fazer Medicina por lá, ao ver que esta matéria trouxe as informações de como é a rotina de estudos, gostaria de saber se muitos brasileiros ficam reprovados nas matérias a ponto de acabar fazendo a Medicina em mais de 6 anos, como consta no curriculum da faculdade! Aguardo uma resposta, posso recebê-la por e-mail se não for atrapalhar!

  • Jurema
    dezembro 16, 2017

    Muito boa as informações e dicas.
    Vou passar pra minha filha obrigado pelas informações.

  • Munique Sales
    novembro 10, 2017

    Oi, como vc está atualmente? Está gostando?
    Estou pensando seriamente no assunto! Gostaria de algumas dicas.

  • Yamim
    setembro 25, 2017

    Bom dia me chamo Yasmim TENHO 19 anos e quero muito fazer medicina, sou tecnica de enfermagem , e gostaria muito de ajuda para ingressar em Rosário ,mais não falo espanho só portugues galera me ajudem gostaria de ir logo mais nem sei por onde começar.
    Desde já agradeço os esclarecimentos .

Deixe seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *